PODCAST EPISODE

Begins… Nos dias de Noé: Gigantes-anões, um Deus arrependido e a Aliança da Graça (Gênesis 6) #rpsp

Reavivados por Sua Palavra

Jan 19 2022 • 54 mins


A biografia de Noé contém uma frase curta e definidora: Deus o aprovou. A Bíblia não explica por que os olhos do Senhor viram com graça o pai de Sem, Cão e Jafé. Essa expressão define todos aqueles que têm a vida é centrada em Cristo. Noé tinha pecado, mas Deus o aprovava. Nós estávamos mortos em nossos e pecados, mas Deus, pela sua graça, nos perdoa (Colossenses 2.13). Temos sido bombardeados com a ideia de que não existe culpa, que toda a culpa é uma produção da cultura. No entanto, a Bíblia é muito precisa quando afirma que todos somos culpados pelos nossos pecados. O pecado entrou no mundo por Adão, mas ninguém é condenado pelo pecado de Adão, mas pelo seu próprio pecado. Permanece o ideal de uma sociedade melhor, de um mundo justo, por uma produção humana, seja pela educação, seja pela ciência, seja pela política. O que temos visto é um mundo injusto e violento, tanto no plano pessoal quanto no plano coletivo. Assim, merecemos a justiça, a justiça de Deus, isto é, o castigo pela nossa culpa, porque Deus é justo. Há pessoas que, teoricamente pelo menos, desafiam essa justiça, achando que Deus pode julgá-las, porque passarão pelo tribunal e serão absolvidas. A História e a Bíblia mostram que não há sequer uma pessoa justa diante de Deus (Romanos 3.10). Há justos aos próprios olhos, mas não aos olhos de Deus. Na verdade, nenhum de nós consegue viver apenas com a justiça de Deus. Tranquilizar-nos com base nessa realidade é o ministério literário e teológico do apóstolo Paulo. Em várias de suas cartas, ele insiste que, pelo sangue de Jesus Cristo, o Pai nos deu vida, juntamente com Cristo (Efésios 2.5), segundo as riquezas da sua graça (Efésios 1.7). AZEVEDO, Bíblia Sagrada Bom Dia